Palestra de Barroso custará a Rondônia R$ 780,00 por minuto; hora com o ministro equivale a salário anual de mestre universitário – e o levante pelo IPVA 1%

O Espectador

A visão de fora de quem está por dentro

Por Vinicius Canova (viniciuscanova89@gmail.com) / http://oespectador.com

________

Absurdo

A notícia sobre a contratação direta de palestra que será proferida pelo ministro Barroso em evento promovido pelo TCE/RO deixou muita gente furiosa, principalmente levando em conta as reivindicações salariais de professores e demais educadores lançados à míngua pelo descaso do poder público. A greve desencadeada pela categoria não tem previsão para terminar, inclusive.

Escárnio, chute de coturno no rosto do professor

Os professores estão em greve e os alunos sem aula porque o Estado de Rondônia não consegue sequer pagar o piso nacional do magistério, que é de R$ 2,4 mil. Entretanto, tem a indecência de autorizar o custeio da palestra de 60 minutos com incríveis 19,5 pisos nacionais do professor. Duvida? Vamos às contas: R$ 2,4 mil x 19,5 = R$ 46,8 mil. Touché! Uma verdadeira “bicuda” de coturno borrachudo no rosto dos nossos educadores!

Ou Barroso mentiu ao negar a informação, ou alguém está levando nosso dinheiro usando o nome dele

R$ 46,8 mil a hora

Embora Barroso tenha negado a informação – e ao fim da coluna quero me aprofundar neste quesito, alguém precisa explicar como a empresa Supercia Capacitação e Marketing surgiu fazendo o meio de campo essencial à vinda do magistrado às terras de Rondon. Se ele irá embolsar ou não a dinheirama, não importa; o que importa é o valor exorbitante dispendido para trazê-lo – ainda mais num contexto de desvalorização voltado ao serviço público efetivo. Com a palavra, os conselheiros… Veja a versão do ministro: Ministro do STF desmente palestra de R$ 46 mil em Rondônia.

R$ 780,00 o minuto

Se ocorrer nos moldes desenhados até aqui, a palestra custará R$ 780,00 por minuto, R$ 174 a menos que o salário mínimo, hoje fixado em R$ 954,00. O valor total de R$ 46,8 mil pago à hora cheia supera, inclusive, o teto do funcionalismo firmado atualmente em R$ 33 mil.

Mais que o salário anual de mestre universitário

Fontes consultadas pela coluna informam que o preço estipulado à hora com Barroso vai além do salário anual de um mestre universitário.

Mais que três especializações pela FGV

Com a mesma grana pública desembolsada também é possível pagar três especializações pela FGV com professores doutores e duração de 18 meses. A FGV é, sabidamente, a instituição mais cara do Brasil.

Se Barroso não cobrou…

Se o ministro não firma contratos com o poder público, como alegou, algo está muito errado. Além de dizer que o valor está complemente fora da realidade, o ministro informou à Folha que foi convidado pela Editora Fórum para dar aula em Rondônia. “Eu não tinha a menor ideia de que poderia haver o envolvimento de algum órgão público, do tribunal de contas ou de qualquer outro. E, se tivesse, não aceitaria”, destacou. Mas se ele não cobrou o valor e sequer sabia que estava arrolado para palestrar em evento promovido pelo TCE/RO, então quem levou a bolada?

E agora, TCE/RO?

O problema é que a Corte de Contas se dispôs a pagar os R$ 46,8 mil pela hora/palestra. Se o valor está fora da realidade, como diz o ministro, como o órgão responsável por controlar as contas do Estado faz uma contratação envolvendo a monta exorbitante? Barroso de fato largou a batata quente no colo dos conselheiros. E agora, TCE/RO?

Mas a PGE/RO autorizou… e lá estava o nome de Barroso

A coluna “O Espectador” obteve com exclusividade o parecer favorável à contratação apresentado pela Procuradoria-Geral do Estado (PGE/RO) – assinado no último dia 12 de março pelo procurador Fábio Sousa Santos. Confira abaixo:

Conclusão

Diante disso, há duas conclusões plausíveis ante o panorama estabelecido até agora: ou o ministro mentiu ao negar a situação após ter sido exposto, ou alguém está usando o nome do juiz para se dar bem com o dinheiro do contribuinte rondoniense – o que é muito pior. E de novo exsurge a necessidade de uma explicação oficial patrocinada pelo TCE/RO à população, se possível para ontem.

IPVA 1%

Ganhou corpo a campanha criada pelo subtenente Nascimento, policial militar que há 27 anos integra a equipe de Segurança Pública do Estado. Pela redução da alíquota do IPVA e contra as taxas abusivas praticadas pelo Detran/RO, Nascimento reuniu um timaço que inclui diversos profissionais dos mais variados flancos da sociedade civil organizada. O negócio é sério, seríssimo!

Primeira reunião da Campanha IPVA 1% fora do mundo cibernético

Detran/RO na berlinda

O grupo criado pelo militar conta com advogados tributaristas, jornalistas, autônomos, policiais, políticos e a adesão é cada vez maior. Quanto mais esclarecimento, maior a revolta social e, consequentemente, resultados práticos. A Campanha IPVA 1% vai às últimas consequências para que a população de Rondônia deixe de ser extorquida por taxas e impostos inconstitucionais.

Breno de Paula – o homem dos tributos

Em entrevista exclusiva concedida ao Rondônia Dinâmica, o conselheiro federal da OAB/RO Breno de Paula, especialista em direito tributário, desceu a lenha na legislação do IPVA instituída no Estado e disse que os valores cobrados pelo Detran/RO são impostos travestidos de taxas. Na visão dele, tanto a cobrança do IPVA quanto os abusos da autarquia são inconstitucionais e é possível reverter o panorama. Os “donos” do cofre que se cuidem – é o fim dos tempos de bonança. Leia em: Campanha IPVA 1% – Tributarista diz que lei do imposto em Rondônia e taxas abusivas do Detran/RO são inconstitucionais

Filme sobre Edir Macedo – Bilheteria esgotada; salas vazias

É sintomático! Os filmes produzidos com a benção da Igreja Universal são campeões de bilheteria. Mas há algo estranho nisso tudo. Os ingressos geralmente esgotam de uma hora para a outra, mas muitas salas de cinema Brasil afora continuam vazias. Que tipo de milagre às avessas poderia explicar isso? Veja: Sucesso de bilheteria, filme sobre Edir Macedo tem salas vazias

Sessão do filme ‘Nada a perder’ sobre Edir Macedo na sala do Espaço Itaú

com lotação para 251 pessoas – Infoglobo

Anti-herói

Me acordem quando a biografia filmada de Macedo mostrar a parte em que ele leciona métodos a outros pastores a fim de depenar os fieis até o último centavo. Quando o protagonista for retratado do jeito que realmente é, mais ao estilo Walter White e muito menos Madre Teresa de Calcutá, a gente abre o diálogo sobre a possibilidade.

Lembrando

Você pode contribuir com a coluna “O Espectador” enviando críticas e sugestões ao e-mail viniciuscanova89@gmail.com. Grande abraço e até a próxima!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s