Palestra sobre indisciplina em sala de aula para burocratas; autossabotagem na OAB/RO – e Confúcio reajusta em 4,5% salários do MP/RO

O Espectador

A visão de fora de quem está por dentro

Por Vinicius Canova (viniciuscanova89@gmail.com) / http://oespectador.com
________

Palestra sobre indisciplina em sala de aula…

No último dia 23 de março, uma sexta-feira, o conceituado palestrante Hamilton Werneck, convidado pela Coordenadoria Regional de Educação (CRE/Cacoal), promoveu forte reflexão sobre a indisciplina em sala de aula. O auditório estava lotado à ocasião.

…para burocratas

Cinco dias antes da palestra de Werneck, os professores grevistas decidiram, em assembleia promovida pelo Sindicato dos Trabalhadores em Educação (Sintero), que não iriam à conferência – e é bom frisar que à época o movimento paredista já fervilhava em todos os rincões de Rondônia. Sem plateia, o evento promovido pela CRE/Cacoal seria um vexame, claro. E aí que entra a logística revelada por uma fonte – que por acaso exerce a cátedra –, testemunha ocular de todo o procedimento.

Pressão por plateia

A fonte relatou à coluna que a CRE/Cacoal queria porque queria ter plateia. Então, o que fez? Obrigou, de acordo com o professor, os diretores de escolas a pagar pela palestra. Ou seja, cada colégio cacoalense deu uma parte “dos poucos recursos disponíveis para pagar os honorários do palestrante”. Na visão do docente, o mais curioso é que as escolas que pagaram são estaduais.

Acordos

Quando a CRE/Cacoal percebeu que não teria o público esperado, ainda segundo um filiado da regional do Sintero, agiu rapidamente costurando alguns acordos. A coordenadoria determinou, então, que todas as secretarias de escolas fechassem as portas e o pessoal das áreas administrativas das respectivas instituições fosse à palestra. Lembre-se, o tema era esse aqui: indisciplina em sala de aula!

Nada a ver

Para os professores fora das secretarias tanto nas escolas quanto nas divisões do Estado, o tema não tinha nada a ver com os burocratas – ainda que temporários. “Isso sem contar que o governo prega que em greve as secretarias nunca podem parar. Então por que pararam para ir à palestra a fim de servir de plateia?”, questionou a fonte.

Obrigação

A prefeitura de Cacoal, administrada pelo mesmo MDB de Confúcio Moura, teria determinado que todos os professores municipais fossem obrigados a assinar o ponto no local da palestra depois de assisti-la. Ou seja, as escolas estaduais gastaram os recursos que já são raros para pagar palestra também a professores municipais. “A Secretaria de Estado da Educação (Seduc), por sua vez, determinou que todos os servidores das CREs da região viessem para Cacoal, assim como os servidores das secretarias de escolas dos municípios vizinhos”.

Lotou

Então o auditório foi preenchido com pessoas das secretarias de escolas estaduais dos municípios de São Felipe, Ministro Andreazza, Espigão do Oeste, Pimenta Bueno, Rolim de Moura, Primavera de Rondônia e, obviamente, de Cacoal, esta com 17 escolas estaduais onde pelo menos 15 teriam custeado a cota do palestrante por determinação da CRE.

Conclusão

É possível extrair de tudo isso que, após a passagem de Hamilton Werneck por Rondônia, quando a rebeldia tomar conta das salas de aula os alunos insurgentes serão duramente disciplinados à base de memorandos e ofícios, carimbos e assinaturas. A coluna tentou contato com a CRE/Cacoal para colher dados sobre a prestação de contas, mas não obteve retorno até a publicação. O espaço está aberto a eventuais esclarecimentos.

Reajuste de 4,5% nos salários do MP/RO

Um dos últimos atos de governo de Confúcio foi o reajusta de 4,5% promovido sobre os vencimentos dos servidores do Ministério Público de Rondônia (MP/RO). "As despesas […] correrão à conta das dotações orçamentárias conginadas ao Ministério Público Estadual, suplementadas, se necessário".

E os educadores?

A notícia caiu como uma “bomba” nas mãos dos educadores em greve que, até agora, não conseguiram extrair nada do emedebista, sequer uma conversa olho a olho, ainda que para dizer não. Sem entrar na seara do merecimento e muito menos fazer juízo de valor acerca do ato administrativo, é preciso, no mínimo, tentar compreender a situação de penúria vivenciada pelos homens e mulheres do maltratado magistério rondoniense. É pedir muito que os nossos professore alcancem pelo menos o piso nacional da categoria? Isonomia é utopia.

Falando em Confúcio…

O governador acabou de anunciar sua renúncia. Acesse a matéria: Vídeo – Pelo Facebook, Confúcio Moura renuncia e indica início da gestão Daniel Pereira

desOrdem

Ano de eleição na Ordem dos Advogados do Brasil, especialmente em Rondônia, pode ser tão ou mais acirrado que os parâmetros percebidos na política partidária tradicionalista. Mas é a primeira vez que se observa por aqui uma autossabotagem tão impactante quanto à promovida nos últimos dias pela atual gestão da OAB/RO – freando, inclusive, serviços e ações que estavam dando muito certo.

Série de exonerações

Tudo começou quando o competente advogado Vinicius Lemos foi exonerado de forma repentina da função de diretor-geral da Escola Superior de Advocacia (ESA/RO). “Decisão a qual acato, respeito, mas lamento”, disse. Informou, em seguida, que tudo ocorreu pela escolha de percorrer outro caminho nas “eleições da OAB/RO que se aproximam”, indicando expressamente as motivações do canetaço que o lançou para fora da atual gestão: uma decisão avessa à democracia, digamos assim.

Implosão

Logo depois, foi a vez da advogada Tainá Amorim Lima, também extirpada à tinta da Comissão de Direito Previdenciário da OAB/RO. “Lamento profundamente a condução que a OAB vem adotando, sobrepondo interesses de pequeno grupo em detrimento de toda a advocacia e sociedade…”, desabafou.

Golpe final

A pancada derradeira da atual gestão da OAB/RO atingiu praticamente o seu próprio corpo inteiro. Renata Fabris também fora apartada do cargo de presidente da Comissão da Mulher Advogada. “…interromperam o trabalho de mais que 51% da advocacia rondoniense, equivalente a 3.638 mulheres”, informou.

Machista e excludente

A frase mais forte da manifestação de Renata veio na reta final de seu discurso publicado no Facebook: “Hoje, a nossa OAB se assemelhou a casa do vizinho e demonstrou que também é machista e excludente”. 

É o fim do mundo

Na época da minha infância e também na pré-adolescência, recordo, fazia um monte de traquinagens e idiotices. Ainda as faço de vez em quando, mesmo na vida adulta, mas nada se compara ao novíssimo desafio de aspirar camisinha pelo nariz. E se isso não for um sinal do apocalipse…

Brincadeira suicida

O Estadão entrevistou Fábio Lorenzetti, otorrinolaringologista da Associação Brasileira de Otorrinolaringologia e Cirurgia Cérvico-Facial, sobre os perigos da prática. “O maior risco é, durante o processo, a pessoa aspirar o preservativo e ele ir para a via aérea inferior, na região da laringe ou da traqueia, a ponto de obstruir a passagem de ar e ter uma parada respiratória, podendo levar a óbito”, disse o médico.

Óbito

Então não seja você o “legalzão” da galera morto com um emborrachado de látex preso na traqueia. Vá rodar pião, jogar bets ou catar jambo!

E-mail

Para entrar em contato com “O Espectador” – veiculada originalmente pelo Rondônia Dinâmica –  e apresentar críticas e/ou sugestões basta encaminhar um e-mail para viniciuscanova89@gmail.com. Até a próxima!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s