Leo Moraes faz denúncia séria contra Nazif; Moreira Mendes e a Lava Jato – e Confúcio banaliza definição de fake news

 

Veja também – Airton Gurgacz cobra São Lucas sobre caso de assédio

Começou

O pronunciamento em Plenário apresentado pelo deputado estadual Leo Moraes, agora no Podemos, foi um recado direto ao Governo do Estado e políticos que o orbitam. O parlamentar abriu o berreiro regimental contra Dr. Mauro Nazif (PSB), seu principal “adversário” na pré-campanha rumo à Câmara Federal, pois ambos possuem eleitorado maciço do centro-esquerda aos canhotos ideológicos mais ferrenhos.

Esperto

Óbvio que é impossível impedir que agentes públicos e/ou ex-mandatários usufruam – eleitoralmente falando – da máquina quando seu estafe gerencia o aparato estatal. Mas ao expor um suposto caso de assédio, ainda que de forma genérica e com nomes na penumbra, o ex-petebista dá o tom do pleito. A esperteza e a ansiedade de Leo às vezes custam caro, porém, sejamos francos, o torpedeiro verbal tirou os soldados do aquartelamento e agora todos estão de olho no Palácio Rio Madeira!

Pérolas aos porcos

Nazif tem uma postura silenciosa histórica tanto em relação a críticas quanto voltada a denúncias. O comportamento do ex-prefeito pode ser traduzido como o de alguém que não queira jogar pérolas aos porcos; por outro lado, “quem cala, consente” é um adágio quetionável, mas prático e aplicável em quaisquer assuntos envolvos à política. Moraes e todos os outros deputados têm prerrogativa legal para denunciar qualquer coisa no púlpito do Legislativo sem a necessidade de apresentar provas contundentes. Portanto, por ora, a reticência de Dr. Mauro respalda suas declarações.

Banalizando

A discussão sobre o neologismo fake news – as tais notícias falsas – é extremamente importante. Principalmente agora em tempos de pré-campanha.  Muitas informações deliberadamente mentirosas percorrem os meandros das redes sociais e chegam ao eleitor; a grande maioria não questiona a veracidade dos textos que “pipocam” o tempo inteiro.  Mas há políticos como o ex-governador Confúcio Moura, do MDB, que agem para banalizar o termo a fim de, obviamente, obter blindagem prévia sobre toda e qualquer crítica.

Exemplo

Confúcio concedeu entrevista ao Papo de Redação, da Parecis FM (98,1 FM), e, como não poderia deixar de ser, apresentou verdadeira catequese em causa própria ao se postar como vítima de fake news. Além disso, como o assunto o chateia, estaria emulando um verdadeiro xerifão na hora de coibir veiculação de notícias falsas permeada, supostamente, por seus próprios apoiadores. Prova dessa trivialização proporcionada pelo pré-candidato ao Senado foi a manifestação em vídeo após o senador Ivo Cassol (PP) expor a escandalosa renegociação da dívida do Beron em cifras nada módicas de R$ 7 bilhões, que vamos pagar até 2048. A notícia falsa que Confúcio mandou pegar e jogar no lixo era, no fim das contas, verdadeira.

Escoro

Aí é como dizem: desculpa de aleijado é muleta! A má utilização da expressão será usada à exaustão por muitos políticos para que possam se proteger das consequencias geradas pela opinião pública. “É fake news, não acreditem!”.

Por isso

Por esses e outros tantos casos, o leitor precisa ir além de simplesmente verificar se uma notícia é verdadeira; tem de se esforçar, inclusive, para expor políticos adeptos ao coitadismo cibernético, reiteradamente a se apresentar como reféns de fake news.

01020102  

Moreira e a Lava Jato

Não teve jeito! O ex-deputado Moreira Mendes, acusado de receber R$ 100 mil em propinas da Odebrecht, irá responder por corrupção passiva na Justiça Federal de Brasília. A pena varia de 2 a 12 anos de reclusão em caso de condenação. Moreira foi delatado pelo ex-executivo da empreiteira, José de Carvalho Filho.

Entenda

Lava Jato – Justiça Federal aceita ação penal contra Moreira Mendes, acusado de receber R$ 100 mil em propinas da Odebrecht

Assédio na São Lucas

O deputado Airton Gurgacz (PDT), presidente  da Comissão de Defesa dos Direitos da Criança, do Adolescente, da Mulher e do Idoso (CDCAMI), solicitou informações à faculdade São Lucas a fim de elucidar e dar respostas contundentes ao caso de abuso sexual ocorrido no âmbito da instituição. A situação foi noticiada por “O Espectador”.

Contato

Estamos à disposição através do e-mail viniciuscanova89@gmail.com. Lembre-se: “O Espectador” é veiculada originalmente no Rondônia Dinâmica, mas a reprodução está autorizada desde que citada a fonte.

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s